11/07/2018

MUSEU AGRÍCOLA E ETNOGRÁFICO DE VILA VIÇOSA

Este edifício, já foi a estação de comboio. Hoje é um museu e um exemplo para todas as estações de linhas desativadas, que se espalham pelo país.

O painel de Azulejos que se vêm na fachada contam uma história. Conta-se que o fidalgo, Pedro de Mendonça terá ido a Vila Viçosa encontrar-se com D. João Duque de Bragança. Representava a nobreza e tinha como missão convidar D, João para os liderar na luta pela Restauração da Independência, acabando com o domínio dos espanhóis. É o que este quadro representa. 
 Este painel com um jarrão repete-se entre cada um daqueles que fazem parte da história.

Aqui a partida de D. João, depois de ter aceitado a missão.

 Estes dois últimos representam cenas da vida na vila, naquela época.

E vamos entrar e olhar os diversos apetrechos e máquinas que faziam parte da vida no campo.




 Trajes de trabalhadores.

 de noiva
 de noivo

 um arado
 Bomba de trasfega do vinho
 Um barril, e várias pás de forno
 peneiras de múltiplos tamanhos.
 Forquilhas

 Prensa de esmagamento de uvas
máquina de esmagamento
torneiras de barris e otespuras de poda.








Ainda tenho um candeeiro destes.
Ali em baixo no meio, está um antigo fogão a petróleo. Meus pais tinham um.

antigo fogão a lenha

O cabaz com a marmita do trabalhador.

esta espécie de arca, é um dos primeiros modelos de chocadeira.


Espero que tenham gostado.




Nota: Todas as fotos são minhas, exceto a primeira. Estavam camionetas de visitantes na frente do edifício não consegui fazer uma foto de jeito, pelo que fui buscar aquela ao Dr Google.

03/07/2018

VILA VIÇOSA - PASSEANDO À CHUVA

 Acabamos de almoçar e vamos passear pela Vila a caminha da Igreja de S. João Evangelista. E está quase a chover de novo.


Eu não dizia...
 Na Praça da República ergue-se este templo seiscentista, também conhecido como Igreja do Colégio ou de São Bartolomeu, edificado por ordem dos Duques de Bragança (1636), para acolher o colégio jesuíta de São João Evangelista, fundado anos antes, em 1601.
A imponente fachada, revestida com os mármores da região, é rasgada por três ordens de janelas e o mesmo número de portais, ladeados por colunas dóricas.
Flanqueada por duas torres sineiras quadrangulares, conta ainda na fachada com o relógio ali colocado em 1822 pela autarquia.
No seu interior, o templo é um exemplar clássico da arquitectura barroca, destacando-se o retábulo do altar-mor feito em talha dourada pelo calipolense Bartolomeu Gomes em 1726.
Pessoalmente achei a Igreja com um exterior feio. O mármore está feio, a fachada está a precisar de uma boa limpeza e as duas torres sineiras terminam tão abruptamente que parece terem ficado por acabar




 Imagens do interior da Igreja








 Já na rua, temos aqui numa esplanada de baixo de árvores a estátua de Bento de Jesus Caraça. Na base desta estátua, uma citação que não consegui fotografar porque estava a chover e estávamos todos amontoados à volta dela. " Se não receio o erro, é porque estou sempre pronto a corrigi-lo. " Bento de Jesus Caraça.
Aqui a estátua de homenagem ao doutor João Augusto do Couto Jardim. João Augusto foi segundo as palavras do guia, o João Semana de Vila Viçosa.  Grande benemérito da cidade, ele tratava toda a gente, não cobrava consulta aos mais pobres e muitas vezes ainda lhes pagava do seu bolso a medicação. Tão benemérito, que o dia do seu nascimento é o feriado da vila. E ele nasceu a 16/8. Sabendo-se que o dia 15/8 é feriado nacional, em Vila Viçosa há sempre dois dias de feriado seguidos. E continua a chover.


Base da estátua com os dados do doutor


Parte de trás com gente nua, que significa os deserdados da fortuna. Pessoalmente eu achei a estátua muito estranha.  

O busto de Florbela Espanca.Aqui em volta do busto o grupo de colegas cantou o poema
Amar. Foi giro, debaixo de chuva quase 50 pessoas a cantar o poema da Florbela.
Eu fiquei um pouco mais longe, à espera que abalassem para fotografar o busto.  Sim porque do jeito que eu canto se me juntasse ao grupo, só para não me ouvir S. Pedro podia fazer redobrar a chuva.
E já se vê o Castelo.
Bom, lá vamos nós.
Já estamos dentro das muralhas.
Aqui o cruzeiro, ao fundo o Santuário Mariano  de Nossa Senhora da Conceição. Onde está a imagem que D. João IV coroou Rainha de Portugal. E que mantém o titulo apesar de Portugal ser uma democracia.
Aqui esteve o Papa João Paulo II conforme prova este busto.
Entrei na Igreja, mas na entrada está, um aviso que proíbe fotos com máquina e telemóvel, pelo que não posso mostrar-vos o seu interior
Nesta campa, no cemitério ao lado da Igreja repousam os restos mortais de Florbela Espanca.
Estas dias fotos são de uma oliveira que se diz ter mais de duzentos anos


E já no autocarro dizemos adeus ao Castelo, quando chove intensamente.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...