05/05/2018

ALENQUER - MUSEU DO VINHO





 Não sei como se chama este aparelho. Meu pai chamava-lhe prensa, mas não sei se é o verdadeiro nome. Serve para espremer ao máximo  as partes sólidas do mosto. As peles e grainhas das uvas, que depois de bem espremidas vão para o alambique a fim de fazer a aguardente bagaceira.


 Várias ferramentas agrícolas.

 E várias medidas.






 Bomba metálica da trasfega, accionada por um motor eléctrico e assente num carro de mão em ferro, com duas rodas. Era assim que nos anos 20 do século passado se passava o vinho de um depósito para outro. O vinho entrava por um lado, saía por outro.

 Aqui uma máquina de sulfatar as vinhas.
 Aqui um esmagador de uva também dos primeiros anos do século passado. Punha-se a uva lá dentro e dava-se à manivela. Uns anos mais tarde foi acoplado um motor eléctrico, e retirada a manivela.

 Quem se lembra destes lavatórios?

 Ancinhos e uma serra.Este diferente era usado nos lagares.
 Uma pasteleira.


 Lembram-se destes fogões?


 Forquilhas e ancinhos.


12 comentários:

  1. Quando regressar ... vou gostar de conhecer!!!bj

    ResponderEliminar
  2. Quando regressar ... vou gostar de conhecer!!!bj

    ResponderEliminar
  3. Sempre ouvir chamarem-lhe PRENSA, Elvira...


    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Gostei imenso das imagens, obrigada pela partilha!
    Beijinhos,
    https://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  5. Uma partilha muito instrutiva, amei!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  6. Mais uma visita e reportagem muito interessante, Elvira !
    Ainda nos dias de hoje, em pequenas "explorações" se usa a Prensa (a que, na foto, falta o "parafuso" da foto 10 e respectivos "braços" para fazer a prensagem) e o esmagador com essa manivela.

    Abraço :)

    ResponderEliminar
  7. Boa tarde,ainda bem que existe museus como o que partilha, mostra os outros tempo em que se fazia o bom vinho sem a preocupação de muita produção, certamente que antigamente o vinho não tinha mistura de químicos, como a maioria da produção atual.
    Continuação de boa semana,
    AG

    ResponderEliminar
  8. Um museu muito interessante, já que a maior parte das pessoas não sabe como se fazia (ou faz) o vinho.
    Nas casa dos meus pais, o utensílio representado na 1ª foto, chamava-se prensa. Mas não tenho a certeza se era a designação corrente no Minho...
    Continuação de boa semana, amiga Elvira.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  9. Houve um tempo em que o meu pai tinha uma pequena vinha e fazia vinho todos os anos. :)
    Uma visita bem interessante, Elvira.

    ResponderEliminar
  10. Mais um post maravilhoso!... Que nos proporcionou uma viagem pelo tempo... quando ele passava no seu próprio tempo... e não à velocidade desenfreada de hoje...
    Aqueles lavatórios... quando fiz as minhas obras na cozinha... fui propositadamente comprar um lavatório deste género, que adoro... combinando assim o actual... com as coisas maravilhosas que nos chegam do passado, e nos oferecem boas lembranças...
    Adorei visitar o museu através das suas fotos, Elvira!
    Beijinhos! Feliz semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  11. Gosto muito de toda esta sequência fotográfica, com respectiva divulgação cultural, alusiva ao ciclo do vinho, de agradecer sob todos os aspectos.
    Parabéns e obrigado, minha estimada amiga Elvira
    Abraço com votos de excelente semana

    ResponderEliminar
  12. Boa tarde Elvira,
    Gostei de conhecer este Museu. Não sabia da sua existência.
    Bonitas e elucidativas fotografias.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar

ESTE ESPAÇO É MUITO ESPECIAL. POR FAVOR TORNE-O MAIS ESPECIAL DEIXANDO A SUA OPINIÃO. BOA OU MÁ NÃO IMPORTA. SÓ COM ELA EU POSSO MELHORAR.

ESTE BLOGUE NÃO OFERECE NEM ACEITA SELOS. AGRADEÇO O VOSSO CARINHO E A VOSSA COMPREENSÃO.

MUITO OBRIGADA E VOLTEM SEMPRE.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...