19/02/2017

SETÚBAL - VAMOS AO MUSEU?

O Museu do trabalho Michel Giacometti em Setúbal, é assim designado, em homenagem aquele etnólogo. Ocupa as instalações de uma antiga fábrica de conservas, a Fábrica Perienes, e alberga parte da coleção etnográfica reunida em 1975 por jovens alunos do Serviço Cívico Estudantil, sob a orientação de Michel Giacometti, e ainda, instrumentos e máquinas que são testemunho das atividades industriais que caracterizaram Setúbal, a partir de meados do séc. XIX, da pesca às conservas, passando pela litografia, pela latoaria e comércio. A entrada do museu, fica na parte mais alta da cidade entre o palácio Fryxell e o Miradouro de S. Sebastião.

Depois deste quadro e da balança iniciamos a descida para a parte onde era a fábrica de conservas.Fomos por uma rampa onde temos uma primeira mostra, relativa aos utensílios de casa e campo, antes da cidade se ter industrializado. Para quem tem dificuldade em locomover-e existe um elevador

Aqui uma panorâmica da rampa, com os objetos à volta. 






 Enxadas. Haverá alguém que não as conheça? 
 Isto é um arado. Servia para alisar a terra depois de lavrada, pois A charrua, revolvia a terra e deixava-a em sulcos.
 Não sei se algum de vós conheceu este aparelho. Chama-se um semeador. É uma espécie de carrinho de mão, com uma caixa onde se colocavam as sementes. Essa caixa tinha no fundo um buraco tapado por uma chapa que de um lado tinha furos para as sementes caírem e de outro não. Uma especie daquela tampa de saleiros de mesa. E essa tampa ia rodando, consoante o carro andava, movida por aquela corrente na rodinha do meio do  elo entre as duas rodas grandes. 
 As foices. 

 A gadanha
 Dois malhos, um ancinho e duas forquilhas. Creio que todos sabem para que servem ou serviam, já que os malhos hoje em dia já não se usam, as máquinas fazem esse trabalho

 Aqui uma amassadeira, recipiente que as mulheres usavam para amassar e levedar o pão antes de o mandarem para o forno.  A propósito lembro aqui a primeira adivinha, que a minha avó me propôs descobrir nos idos anos de 50. 
Em cima de de ti me ponho
Em cima de ti me deito
sem dar ao cu nada feito.
Claro que eu não adivinhei, mas era uma mulher a amassar a farinha sobre um recipiente destes.
 Utensílios que também conheceis. Uma arca, a bela panela de ferro com três pés, uma balança, um moinho de café, conchas. utensílios para a gravação de letras, e uma terrina.
 Lembram-se disto?
 Tive um igual e muita roupinha passei com ele. A carvão. Conheceram?
 E a velhinha máquina de costura?
 Aqui vários utensílios para bater, cardar e dobar o linho.
 E o tear, onde depois de dobado se teciam belos panos.

 Duas máquinas de trabalho de latoaria.
Por hoje ficamos por aqui.  Continuamos daqui a uns dias

22 comentários:

  1. Já viajei um pouquinho pelo passado por aqui hoje!
    Bom domingo!


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  2. Passear contigo nesse museu foi lindo! Obrigadão! bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostou amiga
      Um abraço e bom domingo

      Eliminar
  3. Adorei as imagens, visitar museus e sempre bom :*

    http://a-cacheada.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  4. Muito bonito, muito bem explicado e ilustrado! Bem haja! Boa semana!

    ResponderEliminar
  5. Não tenho a certeza de que se já visitei ou não, embora saiba que estive lá à porta...

    Grata pela partilha e feliz semana

    ResponderEliminar
  6. Não conhecia o museu, pelo que adorei descobrir as suas relíquias do passado, através das suas imagens, Elvira!
    Adorei recordar imensos objectos, que ainda cheguei a ver em casa da minha avó... bem idênticos... pelo que este post, me proporcionou, uma agradável viagem ao passado...
    Beijinhos, Elvira! Boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  7. Bom dia, desconhecia o museu Michel Giacometti, viajei por ele atravez das boas fotos, assim, quando tiver oportunidade, vou dar uma espreitadela.
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Museu é muito interessante. Ainda vou fazer por lá mais uma ou duas postagens.
      Abraço

      Eliminar
  8. Não conheço mas me parece um lugar muito interessante recheado de arte, história e vidas projetadas em obras! Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom Vê-la por este cantinho amiga.
      E o museu tem muito mais para ver, que mostrarei noutras postagens.
      Um abraço

      Eliminar
  9. Não conheço o Museu, que penso ser interessantíssimo e muito didáctico !
    Conheço o Michel Giacometti, que viveu em Portugal durante 30 anos, inicialmente radicado em bragança e posteriormente casado com uma portuguesa !

    Já agora, o tal instrumento que rasga mais profundamente a terra e que é hoje em dia, puxado a tractor (antigamente a junta de bois) chama-se "Charrua" e só após o trabalho da charrua se procede ao trabalho do Arado ! A Enxada, para trabalhos "menores" de abertura de pequenos regos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Rui. Não conseguia lembrar do nome da Charrua. E conheço muito bem, pois nasci e cheguei a trabalhar no campo. Coisas da velhice.
      Um abraço.

      Eliminar
  10. Bonitos e interessantes pormenores apresentados!
    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Elvira, que belíssimo esse museu e tuas fotos que nos conduzem à este passeio!
    Estive lá na parte II e vim começar por aqui. Ainda esta semana abri duas latas de sardinha e nunca imaginei todo o maquinário que já foi envolvido neste trabalho.
    Obrigada pela visita e gentil comentário que sempre me deixa. Um abraço!

    ResponderEliminar

ESTE ESPAÇO É MUITO ESPECIAL. POR FAVOR TORNE-O MAIS ESPECIAL DEIXANDO A SUA OPINIÃO. BOA OU MÁ NÃO IMPORTA. SÓ COM ELA EU POSSO MELHORAR.

ESTE BLOGUE NÃO OFERECE NEM ACEITA SELOS. AGRADEÇO O VOSSO CARINHO E A VOSSA COMPREENSÃO.

MUITO OBRIGADA E VOLTEM SEMPRE.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...