22/02/2017

MUSEU DE TRABALHO - PARTE II


Nesta imagem se vê a lavagem das sardinhas e colocações em caixa.




Aqui eram escolhidas e metidas nas latas.

E aqui era adicionado óleo ou azeite nas latas. Em primeiro plano uma máquina de fechar latas.



A escolha das latas. É preciso ver se efetivamente 

 Duas máquinas de fechar latas, sendo que a segunda  fechava mais que uma ao mesmo tempo.


 O recipiente do azeite que era posto nesta mesa, Isto porque as latas teriam que levar azeite até transbordar, a fim de que não ficasse nenhuma ponta de peixe sem azeite, o que faria estragar a conserva.
A mesa têm furos, para escoar o azeite que transborda e que é recolhido em recipientes por baixo dela. 


 Aqui um original chapéu de lata. O esquisito feitio era muito útil para os pescadores, pois naquela espécie de bacia ficava a água evitando que eles se molhassem. Na foto abaixo mostra como era usado.

Seguem-se várias máquinas usadas no corte da folha para as latas e na sua confecção.




 Esta e a seguinte pertenciam à parte de imprensa de cartazes e de propaganda.









Acima, mesas de trabalho, e tina de esterilização.


E por hoje acaba aqui.


Dentro de dias volto com o resto

Espero que continuem a gostar da visita.

16 comentários:

  1. Gostei muito e sempre aprendemos contigo! Valeu! bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostou amiga. Fico sempre na dúvida se estas coisas interessarão tanto aos leitores, como a mim.
      Um abraço

      Eliminar
  2. Muito interessante !!
    Giacometti merece bem esta preciosidade !

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda nem acabei a visita Rui.
      Um abraço e bom fim de semana

      Eliminar
  3. Parece bem interessante. Em Portimão o museu municipal também foi instalado numa antiga fábrica de conservas. Tem recebido vários prémios e vale muito a pena visitar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este também é muito interessante Luísa.
      Um abraço e bom Carnaval

      Eliminar
  4. Isto é história e deve ser preservado para as gerações futuras amiga Elvira.
    Muito interessante, obrigada por partilhar.

    Um beijinho e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  5. Olá Elvira

    estive lá à porta uma vez
    mas, não sei porquê, estava fechado
    e nunca mais lá voltei

    ainda bem que nos mostra
    a visita que fez
    tenho mesmo que lá voltar!!!

    Obrigado pela partilha.

    Viajar é alargar os nossos horizontes...
    daí que na outra semana fui até BEJA que desconhecia.

    Quando quiser venha acompanhar a minha visita ao Alentejo.
    Bom Carnaval.
    Tulipa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que pena Ester. Acredite que vale a pena a visita.
      Abraço

      Eliminar
  6. Nossa, que interessante, rsrsrsrs! Fiquei imaginando que para a época a tecnologia era bem avançada! E o chapéu então? Muito curioso! Gostei! Abraços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sempre muito interessante, saber como viviam os nossos antepassados antes de toda esta tecnologia.
      Abraço

      Eliminar
  7. Grata pela magnífica partilha, Elvira!
    Uma sequência notável, de fotos que tão bem nos mostrou as condições de trabalho e as máquinas da indústria conserveira, do antigamente...
    Uma autêntica viagem no tempo! Adorei!
    Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A função destes posts é a tentativa de que quem por aqui passa, goste. Quando assim é fico feliz.
      Abraço

      Eliminar

ESTE ESPAÇO É MUITO ESPECIAL. POR FAVOR TORNE-O MAIS ESPECIAL DEIXANDO A SUA OPINIÃO. BOA OU MÁ NÃO IMPORTA. SÓ COM ELA EU POSSO MELHORAR.

ESTE BLOGUE NÃO OFERECE NEM ACEITA SELOS. AGRADEÇO O VOSSO CARINHO E A VOSSA COMPREENSÃO.

MUITO OBRIGADA E VOLTEM SEMPRE.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...