16/09/2020

Nazaré

A resposta ao desafio anterior  era Alenquer. Foi lá que segundo a lenda aconteceu o milagre e é lá que se encontra aquela placa comemorativa. De resto Alenquer, foi uma das 4 localidades que a rainha recebeu em dote em Abril de 1281, já casada  por procuração com o rei D. Dinis, embora tivesse apenas 11 anos. A boda presencial seria celebrada em Trancoso a 26 de Junho de 1282.

As outras 3 localidades foram Óbidos, Abrantes, e Porto de Mós. Posteriormente viriam a ser-lhe atribuídas muito mais. Parabéns Manu e Ailime


                          

 


Segundo a lenda, Nazaré deve o seu nome a uma imagem da Virgem de Nazareth na Palestina, que um monge grego terá trazido no séc. IV para o mosteiro de Cauliana, perto de Mérida. No ano 711 após a batalha de Guadalete, em que os muçulmanos derrotaram os cristãos, e  D. Rodrigo, o último rei visigodo da Península Ibérica, consegue fugir e chega ao mosteiro, quando os monges, sabedores da vitória dos muçulmanos se aprestavam a abandoná-lo. Um dos monges, Frei Romano decide acompanhar D. Rodrigo na fuga, trazendo consigo a imagem da Virgem, e uma caixa com as relíquias de S. Brás e S. Bartolomeu.
Chegam ao seu destino a 22 de Novembro desse mesmo ano, quando encontraram uma igreja abandonada no monte Seano, actual monte de S. Bartolomeu. Separaram-se, para viverem como eremitas. O rei ficou no monte, o monge, instalou-se a 3 Kms, numa gruta no topo de uma falésia sobre o mar. Após a sua morte, a imagem terá permanecido escondida durante vários séculos até que foi descoberta por pastores que passaram a venerá-la.
D. Fuas Roupinho, alcaide-mor do Castelo de Porto de Mós, tinha por hábito caçar por aqueles lados. Conta a lenda que também ele descobriu a imagem e a venerou.
Ermida da Memória. Painel de Azulejos alusivo ao milagre da lenda. Foto da Wikipédia.

Algum tempo depois, a 14 de Setembro  de 1182, numa manhã de intenso nevoeiro, D. Fuas perseguia um belo veado, quando o vê desaparecer no precipício. Perante o perigo, terá pedido auxílio à Virgem, e o cavalo estacou na ponta do penhasco, salvando a vida do cavaleiro. Em acção de graças, mandou D. Fuas Roupinho construir a Ermida da Memória. Venerada desde então, a imagem teria dado origem ao nome do lugar - Sítio de Nossa Senhora da Nazaré. Desde então, ao local acorrem romeiros e peregrinos, mas devido à difíceis condições de acesso, passaram mais uns bons séculos até que o Sítio começasse a desenvolver-se. Para isso deu grande contribuição, a instalação de um elevador mecânico em 1889, para fazer a ligação ente o Sítio e a Praia.



As primeiras referencias à Praia da Nazaré, datam de 1643, pelo que se depreende que a sua ocupação é relativamente recente.
Só no século XIX, já depois das invasões francesas, se reuniram condições para que os pescadores começassem a instalar-se junto à praia. Anteriormente devido aos constantes ataques dos piratas argelinos e holandeses, os pescadores sentiam-se inseguros no areal, e refugiavam-se nas partes altas, Sítio e Pederneira. Apesar de nos meados do século XIX, a praia da Nazaré, já ser procurada para banhos, só na década de  60 do século passado o turismo descobriu verdadeiramente a Nazaré.
Hoje é uma vila moderna e animada, para o que muito contribuem a excelência das suas ondas para a prática de surf.  E por falar em ondas lembram-se do recorde estabelecido em 2011 por McNamara na Praia do Norte? Pois é, uma onda de 30 metros é obra..
Mas Nazaré é muito mais que Sítio e Praia da Nazaré.. Assim aconselho uma visita ao Forte de S. Miguel.



O Santuário de Nª Senhora da Nazaré que remonta ao século XIV,


Exterior e interior do Santuário de Nª Senhora da Nazaré

A Igreja Paroquial de Nossa Senhora das Areias, do século XVI,e  outros.  Uma visita ao Miradouro de Suberco, no Sítio, a 110 metros de altura que tem uma vista fantástica, à Praia do Norte,ainda o miradouro da Pederneira,
Miradouro da Pederneira. Foto da CM da Nazaré




 a Praia do Salgado e a Praia do Sul. Para os que se interessam por museus, existem três na Nazaré. Um etnográfico, um de arte sacra e o museu do Pescador.
Na Gastronomia, são vários os pratos típicos, todos na base do peixe.  A caldeirada  Nazarena, a sardinha, o carapau , a massa de peixe, a cataplana de peixe, o arroz, a açorda, e a cataplana de marisco. Na doçaria temos as Sardinhas, um folhado recheado de creme de ovos, Támares, uns bolinhos em forma de barcos,os Fóquins e os Nazarenos.








12 comentários:

  1. Buenas imágenes en un lugar con mucha historia.

    Besos

    ResponderEliminar
  2. Olá, querida amiga Elvira!
    Não cheguei a conhecer Nazaré, mas sinto vontade.
    Lugar bonito r o miradouro é muito lindo.
    Tenha dias abençoados!
    Bjm carinhoso e fraterno

    ResponderEliminar
  3. Olá Elvira
    Gosto muito da Nazaré e vou lá amiúde.
    Gostei de toda a informação histórica.
    Tive a sorte de um dia fotografar o McNamara e hoje soube que mais um recorde feminino foi conquistado por uma brasileira.
    Gostei das fotos.
    Abraço Elvira

    ResponderEliminar
  4. Conheço razoavelmente. É uma terra maravilhosa !

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde Elvira,
    Gostei muito da sua narrativa sobre a Nazaré e as lendas.
    Estive no Sítio há poucos anos, (fui em peregrinação ao Santuário) mas já há bastante tempo que não visito a vila
    Uma lacuna que quando as coisas melhorarem gostaria de preencher.
    Um beijinho e uma boa tarde de domingo.
    Ailime

    ResponderEliminar
  6. Sempre interessante conhecer partes importantes da cultura e riqueza de um país. Uma reportagem excepcional
    Beijinhos querida Elvira

    ResponderEliminar
  7. Que imagens bonitas, Elvira!
    Senti vontade de apreciar aquela vista do Miradouro da Pederneira. Um abraço.

    ResponderEliminar
  8. Uma vila lindíssima, que adorei revisitar neste belo post... e percorrer um pouco da sua história!...
    Deixo um beijinho, Elvira, e votos de um excelente fim de semana, estimando que estejam bem, aí desse lado!
    Tudo de bom!
    Ana

    ResponderEliminar
  9. Voltei da minha segunda e última fase de férias deste ano.
    Felizmente correu tudo muito bem, visitei sítios maravilhosos, e constatei, uma vez mais, aquilo que sabia de sobra – Portugal é um país LINDO!
    Mas… acabou-se o que era doce 😊. No próximo ano haverá mais, assim o espero, e talvez que em condições mais favoráveis.
    Regresso, pois, e confesso que com muito prazer, ao vosso convívio.

    Gosto imenso da Nazaré, onde já fui inúmeras vezes. Gostei de ver as imagens e, sobretudo, ler toda a informação (preciosa) acerca dessa linda terra.
    Gosto também, imenso, de lendas, e esta é das mais bonitas que conheço (e conheço muitíssimas... exactamente porque gosto...).

    Desejo uma semana feliz
    Abraço
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
  10. Olá, Elvira!

    Ano passado a filha conheceu Nazaré e trouxe fotos lindas.
    Um passeio que com certeza vale muito a pena.

    Um abraço,
    Sônia

    ResponderEliminar
  11. Olá, bom dia. Eu estou fazendo uma campanha para arrecadar fundos para voltar para minha terra. Porque estou com problema de saúde e gostaria de ficar perto da minha família. Desde já agradeço! muito obrigada... E se você puder colaborar clique no link abaixo:
    https://www.kickante.com.br/campanhas/lupus-fibromialgia-nao-consigo-trabalhar

    ResponderEliminar
  12. Gosto muito da Nazaré!
    Obrigado pela partilha!!! Bj

    ResponderEliminar

ESTE ESPAÇO É MUITO ESPECIAL. POR FAVOR TORNE-O MAIS ESPECIAL DEIXANDO A SUA OPINIÃO. BOA OU MÁ NÃO IMPORTA. SÓ COM ELA EU POSSO MELHORAR.

ESTE BLOGUE NÃO OFERECE NEM ACEITA SELOS. AGRADEÇO O VOSSO CARINHO E A VOSSA COMPREENSÃO.

MUITO OBRIGADA E VOLTEM SEMPRE.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...